quinta-feira, 18 de maio de 2017

TCP recebe maior navio porta-contêineres já atracado na costa brasileira


O TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, recebeu, na última quarta-feira, 17 de maio, o maior navio porta contêineres já atracado na costa brasileira, o porta-contêineres Hyundai Loyalt, que tem 339,4 metros de comprimento, 45,6 metros de boca e calado máximo de 14,5 metros. A embarcação saiu da Ásia e, após escalas em Santos e Paranaguá, seguiu viagem para Buenos Aires na Argentina.

O Hyunday Loyalt tem capacidade para até 8,6 mil contêineres, e sua chegada ao porto paranaense comprova a capacidade operacional do cais do Terminal. “A TCP tem realizado constantes investimentos para acompanhar a tendência mundial que é de navios cada vez maiores. Hoje, o cais do Terminal conta com 879 metros e deve chegar a 1.099 metros até 2018, o que nos capacita a receber navios de até 368 metros”.

O Terminal também está investindo na construção de dolphins exclusivos para a atracação de navios que fazem o transporte de veículos; e a ampliação da retroárea do terminal, que chegará a 500 mil metros quadrados. “Todos os investimentos realizados têm como objetivo dar maior agilidade à operação portuária, tornando a operação por Paranaguá mais competitiva para o armador e para o cliente”, enfatiza.

 Além da modernização da infraestrutura portuária, o Terminal também investiu em um sistema de gestão que deve aumentar a capacidade de 1,5 milhão de TEUs para 2,5 milhões de TEUs até 2018. “O Navis N4 permitiu ao Terminal o aumento da produtividade, redução de custos e melhoria na interface com os clientes. Fonte/foto: TCP

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Maersk Letícia

Segue imagens do navio porta-contêineres "Maersk Leticia" suspendendo do TCP, Terminal de Contêineres de Paranaguá pelo Canal da Galheta em Pontal do Paraná, com destino ao Porto de Buenos Aires na Argentina. O navio mede 299,9 de loa e 45,9 de boca com capacidade de transporte de 8,700 contêineres.
















segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Porto de Paranaguá recebe licença ambiental para dragagem de aprofundamento

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) recebeu do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) a licença de instalação para a dragagem de aprofundamento dos canais de navegação, acesso e berços do porto. A última dragagem de aprofundamento realizada no Porto de Paranaguá foi há 20 anos, em 1997.

O documento autoriza o início da obra que irá aumentar a profundidade do calado do Porto de Paranaguá em até 16 metros. A dragagem ocorrerá em três áreas que permitem o acesso de navios numa extensão de, aproximadamente, 45 quilômetros. Ao todo, serão dragados 14,2 milhões de metros cúbicos de areia, quantidade suficiente para encher 15 estádios de futebol como o Maracanã.

PRODUTIVIDADE - A dragagem trará ganhos de produtividade ao Porto de Paranaguá. Após a conclusão da obra, o terminal será capaz de receber mais 10 mil toneladas de carga por navio. Isso significa um acréscimo aproximado de 315 mil toneladas por mês na movimentação de mercadorias, sem necessidade de aumento do cais existente.

Atualmente, Paranaguá recebe 30 navios por dia de, no máximo, 12,60 metros de calado. Com o aumento da profundidade, o canal externo passará dos atuais 15 metros para 16 metros. Já o canal interno saltará dos 14 metros para 15 metros.

A bacia de evolução do canal – área utilizada pelos navios para manobra e atracação – ganhará mais dois metros de profundidade com a nova dragagem, passando de 12 para 14 metros. Já as áreas intermediárias, localizadas entre o Canal da Galheta e a bacia de evolução, passarão a ter entre 14 e 15 metros de profundidade.


A licença de Instalação do IBAMA é válida por 24 meses, no entanto, a execução da obra deverá ser concluída em onze meses.

Fonte/fotos: APPA Portos do Paraná








domingo, 22 de janeiro de 2017

Svitzer agora opera também em Paranaguá

 A Svitzer, que pertence à dinamarquesa Maersk, está ampliando sua atividade no Brasil e iniciou as operações de dois novos rebocadores, o"Svitzer Carolina" e " Svitzer Maria Darian"  no porto de Paranaguá neste mês.
A empresa pretende aumentar mais a frota ao longo de 2017, com a meta de chegar ao fim do ano com 10 embarcações de apoio de bandeira brasileira.
Para isso, ela está construindo quatro novos rebocadores no estaleiro de Inace, em Fortaleza, que devem ficar prontos no segundo semestre, além de já ter atuação nos portos de São Francisco do Sul e Itapoá.
O plano estratégico da Svitzer para a América Latina, traçado em 2015, envolve um volume de investimentos somados em R$ 200 milhões, com destaque maior para o mercado brasileiro.








 Primeira manobra do rebocadores da Svitzer foi realizada neste sábado 21/01.





terça-feira, 18 de outubro de 2016

Porto de Paranaguá prevê aumento de 83% na movimentação de veicúlos

A movimentação de veículos no Porto de Paranaguá deve crescer em 83% ao longo de 2017, de acordo com a previsão de importação e exportação dos operadores portuários. A previsão é de que 163 mil veículos embarquem ou desembarquem no porto – o que representa um acréscimo de 73 mil unidades em relação aos 89 mil carros previstos até o final de 2016.

Este aumento pode ser ainda maior, já que o volume de carga é planejado com base na previsão de produção pelas montadoras brasileiras e mercado interno, com a possibilidade de que novos contratos de importação e exportação sejam firmados.

INVESTIMENTO E CONFIANÇA - O aumento no volume operado é resultado dos investimentos feitos pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) e na confiança do setor produtivo na eficiência dos portos do Paraná. “O mercado externo está muito atrativo para as montadoras por conta do câmbio e da situação econômica global. O Porto de Paranaguá está preparado para atender este mercado prontamente”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. “Por isso, a previsão de movimentação deste tipo de carga só cresce”, ressalta.

No primeiro semestre deste ano, foram inaugurados os novos dolfins, que são berços exclusivos para o embarque e desembarque de veículos. Com as estruturas, a movimentação deste tipo de carga fica mais eficiente, reduzindo o tempo de espera e o custo da operação. Foram investidos R$ 60 milhões nesta obra.

O diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, conta que em 2016, até o momento, já foram movimentadas 69 mil unidades de veículos comerciais e para o final do ano está prevista a operação de mais 19 mil unidades.

“Somente nos primeiros nove meses do ano, as exportações de veículos pelo porto tiveram um aumento de 103%, se comparado ao mesmo período do ano passado”, informou Dividino. Em 2015 haviam sido exportadas 28,4 mil unidades entre os meses de janeiro e setembro. Já em 2016, o número de unidades exportadas saltou para 56,8 mil no mesmo período.

EXPERIÊNCIA – O aumento no comércio exterior de carros por Paranaguá também é fruto de um know-how especializado e reconhecido pela indústria brasileira de veículos. “Temos uma experiência vasta neste tipo de operação, que é muito delicada. É preciso ter mão-de-obra capacitada e treinada para garantir avaria zero nas operações, já que o mercado é muito exigente no que diz respeito a estas cargas”, completou Dividino.


Exemplo disso, é que, além de ser a principal porta de saída das montadoras instaladas no Paraná, o Porto de Paranaguá também foi o escolhido para operar um lote de exportação de 10 mil BMW, que tem fábrica em Araquari, em Santa Catarina, a 200 quilômetros de distância do porto.
Fonte/fotos: APPA Portos do Paraná






terça-feira, 27 de setembro de 2016

Porto de Paranaguá desembarca veículos Blindados

O Porto de Paranaguá desembarcou na segunda-feira (19) a bordo do navio "CLNC Corsica", um carregamento de 52 veículos blindados para uso do Exército Brasileiro. O lote foi doado pelo exército americano e será modernizado e adaptado para os padrões das Forças Armadas Brasileiras no 20º Batalhão de Infantaria Blindado de Curitiba.

Ao todo, quatro tipos de veículos foram desembarcados: 34 unidades do M-577, que tem 12 toneladas e é usado como posto de comando e ambulância; 12 unidades do M-113, de 11 toneladas e que tem como finalidade o transporte de sistemas de artilharia e tropas; quatro unidades do M-88, de 52 toneladas, usado para salvamentos e socorro pesado; e, por último, duas unidades do M-109, de 22 toneladas, que são blindados de artilharia.

“O Porto de Paranaguá é uma referência na movimentação de cargas gerais. Estamos trabalhando permanentemente para diversificar cada vez mais a gama de produtos operados e este carregamento de blindados é mais um exemplo disso”, explica o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino.

SEGURANÇA E CREDIBILIDADE - Segundo o coronel Everton Pacheco da Silva, da diretoria de material do Exército, o Porto de Paranaguá foi o escolhido para a operação pela experiência na movimentação de cargas especiais das Forças Armadas. “Sempre que trazemos peças e equipamentos de fora, usamos o Porto de Paranaguá. Além da proximidade de Curitiba, o porto tem tradição neste tipo de operação”, afirma.


Em 2012, o Porto de Paranaguá fez uma movimentação parecida, quando operou o desembarque de tanques de guerra vindos da Alemanha.

Fonte/ fotos 1,2,3,4,5= APPA







quarta-feira, 27 de julho de 2016

Petrobrás P-76

Segue imagens do navio plataforma tipo FPSO "Petrobrás P-76" ex "Golar Edinburgh Imo:9005223"entrando pelo Canal da Galheta em Pontal do Paraná em direção ao caís do consórcio Techint/Technip para finalização. A P-76 saiu do Rio de Janeiro na manhã do dia 16/07, e entrou pela Baía de Paranaguá no dia 25/07, trazidos pelos rebocadores "Skandi Angra" e "Normandi Master" também foi necessário o apoio dos rebocadores Smit Tariana, Smit tapeba, Hadar,Atria e Draco e mais dezenas de embarcações auxiliares.